English (United States) Español (España) Português (Portugal)




Tuesday, September 26, 2017

EM REAGENDAMENTO...

30 Junho 2017 | PORTO
das 9h00 às 13h00
Clube Universitário do Porto
Rua do Campo Alegre, nº 877 Porto


Encontro de Gestores
Livre Escolha Na Saúde
E agora?

9h00 Abertura e Café de Boas Vindas
9h30
Manuel Delgado
Secretário de Estado da Saúde
Livre Escolha e Livre Circulação
Melhorou-se o acesso? Melhorou-se otimização de recursos?
Melhorou-se a Qualidade?
Ou só tempo e a comodidade?

10h30
Mesa Redonda
Debate

Os impactos nos Hospitais:
Uma realidade diversa.
Preferidos versus Preteridos
Todos ficaram melhor ou todos ficaram pior?
Mudou a relação entre os Cuidados Primários e os Cuidados Hospitalares?
Numa ULS como funciona?
E nas Parcerias Publico Privadas?
Existe continuidade clínica?

CHSJOAO | CHP | CHVNG | ULSM | CHTS  .......
12h30 Fecho


 

Manifeste interesse em participar

Há um ano...


 

 

 

 

 

Manuel Delgado quer controlar a despesa em Saúde no último trimestre do ano 
O Ministério da Saúde está apostado em controlar a despesa do Serviço Nacional de Saúde (NS) até final deste ano, até porque, explicou Manuel Delgado, as contas da Saúde são das que mais pesam no défice.

Contudo, sobre a execução orçamental, o secretário de Estado da Saúde teme que a meta estabelecida para a despesa com a farmácia hospitalar seja «uma estimativa muito otimista» e que possa pôr em perigo o cumprimento do estabelecido no Orçamento do Estado (OE) para 2016.
Veja mais aqui

Notícia Tempo Medicina

 


 

Urgências e consultas hospitalares: livre acesso promove a «eficiência e a qualidade dos hospitais»
Em apenas três meses, 11% dos doentes encaminhados para consultas hospitalares pediram a derivação para 
outros hospitais, por aconselhamento do seu médico ou por opção individual. De acordo com Manuel Delgado, secretário de Estado da Saúde, este fenómeno de transferência foi mais notório nas áreas de dermatologia (15%), cardiologia (14%), ortopedia (12,3%), gastroenterologia e urologia (ambas com 12%), ginecologia (8,7%), obstetrícia (6,6%) e cirurgia geral (5,8%).

Todas estas especialidades "são clinicamente sensíveis em termos de resposta, isto é, são áreas onde a resposta é muito diversa consoante a zona do país e onde suspeito que a oferta não consegue dar satisfação confortável à procura", explicou o governante na conferência(...).
Ver mais aqui 


Notícia JustNews

 

 

 



Hospitais que receberem a preferência dos doentes irão ter mais verbas ao longo do ano.
A tutela quer que os contratos-programa dos hospitais para 2017 sejam assinados antes do final deste ano.

Uma das novidades que está a ser trabalhada na contratualização para o próximo ano é o pagamento adicional para as unidades que receberem doentes fora da área de influência, consoante a atividade realizada.

Fernando Araújo espera que a liberdade de escolha dentro do SNS possa pôr o número de doentes operados fora do tempo máximo de resposta garantida de novo a diminuir, depois de 2015 ter revelado dados preocupantes...
Ver mais aqui

Fotografia e notícia: Tempo Medicina


Contactos E-mail. sec@apegsaude.org Tel. +351 936712131

Privacy Statement  |  Terms Of Use
Copyright 2010 by APEGSAUDE