English (United States) Español (España) Português (Portugal)




miércoles, 17 de octubre de 2018

 

 

próximas iniciativas.... clique na imagem para ver o programa

 

   
       

 

 

   

Aconteceu em 2018




Dados e Evidência
Health Parliament Portugal
22 de Fevereito de 2018

 


Infarmed
O que pode e deve ser?

28 de Fevereiro de 2018



Haverá Médicos no Futuro?
11 de Maio de 2018

 


Encontro de Diretores Clínicos
Responsabilidade Médica
15 de Maio de 2018


Que Prioridades? nos Sistemas
de Informação na Saúde

6 de Junho de 2018


PSD
O que mudaria nas Políticas da Saúde

26 de Junho de 2018


Resultados e Recursos em Saúde
28 de Junho de 2018

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


O que está para vir em 2018



Acidentes de Trabalho,
novidades?

14 de Setembro de 2018



Grandes Hospitais
Missão e Desafios
19 de Setembro de 2018


... entre outras

 

Em que andámos ocupados na primeira parte do ano de 2018?


Num relance: 


Dados e evidência científica em Saúde foi a primeira iniciativa.. Como pode a Informação contribuir para a melhoria da atividade clínica e dos sistemas de saúde? 

"Na Saúde estamos longe..." disse um dos participantes. Os Dados estão por gerir. É preciso aproveitar o potencial que estes possibilitam, a todos os níveis. O atraso vai custar caro.


Prosseguimos Infarmed, O que pode e deve ser? .Henrique Luz Rodrigues, coordenador da Estratégia Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde para 2016-2020 e do Grupo de Trabalho para a Avaliação dos cenários alternativos para a implementação da deslocalização do INFARMED, no âmbito das suas competências ouviu informalmente os parceiros e atores do sistema de saúde, em concorrida sessão.

Notoriamente, a relocalização atrapalha a estratégia do medicamento.


E o futuro voltou a estar presente na Mesa Redonda que juntou as Faculdades de Medicina e hospitais universitários do norte. Haverá Médicos no Futuro? foi o tema que o Professor Fernandes e Fernandes introduziu.
Revolução Digital, que consequências na formação médica? A Inteligência Artificial é uma ameaça ou uma esperança? A Formação Pós-Graduada tem a ver com as Faculdades?A Liderança e a Gestão Operacional necessitarão do saber médico? Que competências serão exigidas a um médico daqui a 10 anos?
São necessárias respostas e ações urgentes.

Responsabilidade Médica e Gestão Clínica mereceu a atenção de um elevado numero de diretores cínicos, tanto do setor privado como do público e do social, cujo encontro nacional promovemos mais uma vez.
Foi patente o "reconhecimento da necessidade de uma reflexão sobre novas formas de organização clínica e a relevância da opinião e da presença dos médicos em tudo o que diz respeito à gestão hospitalar.", como salientou António Oliveira e Silva, presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar de São João.

E a informação voltou a estar na ordem do dia. Luís Augusto Sequeira, engenheiro, economista e general na reserva, que foi Presidente da Comissão de Fiscalização Externa dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, veio brilhantemente abordar a candente questão da gestão da informação. interrogou-se sobre Que Prioridades? nos Sistemas de Informação da Saúde.

A política, que sempre influencia as políticas de saúde, mereceu atenção. Ricardo Batista Leite, porta voz do Partido Social Democrata veio responder à pergunta O que mudaria nas Políticas de Saúde?

A gestão e a boa alocação dos recursos foi o tema de mais um debate muito vivo, no Porto, que foi encerrado pela Secretária de Estado da Saude.
Como alocar recursos e como obter retorno do investimento foi a preocupação central desta sessão Resultados e Recursos, introduzida por Ricardo Mestre da Administração Central do Sistema de Saúde e pelos porta vozes do Health Parliament Portugal.
Há espaço para mais eficiência, para mais planeamento, para mais clareza de critérios, para mais e melhor gestão, para mais..., para mais... . Mas a coisa encalha.

 

O que faremos até ao final do ano de 2018?


A nossa previsão para o semestre final de 2018, é de ainda maior dinâmica.
A tensão é percetivel nos profissionais, as reformas ansiadas tardam em ver a luz do dia, investimentos são necessários...

Já logo no início de Setembro abordaremos de novo o tema Acidentes de Trabalho, agora no Porto.

E de seguida juntaremos os mais importantes decisores dos seis maiores hospitais portugueses. Refletirão sobre Grandes Hospitais Missão e Desafios.

E lá para o final do mês, será a altura de abrir o mais importante debate, o debate sobre a situação dos sistemas de informação na saúde. Políticas de Melhoria | Um debate Necessário? será o lema de um documento público que lhe servirá de base.


E mais iniciativas se seguirão.

Esperamos que a Presidente da Entidade Reguladora aborde o tema Equidade e Qualidade | A Regulação Necessária e nos informe como vai o Licenciamento das Unidades de Saúde, que foi assumido pela entidade.

Esperamos ainda poder convidar a Senhora Diretora Geral da Saúde, e muitas outras personalidades marcantes e com responsabilidade no setor da saúde.

Serão abordadas matérias tão importantes como os novos modelos de contratação pública e a gestão de contratos e subcontratos, o planeamento dos novos investimentos, quer públicos e privados, e novas tecnologias.

 

 


 

Contactos E-mail. sec@apegsaude.org Tel. +351 936712131

Declaración de Privacidad  |  Términos de Uso
Copyright 2010 by APEGSAUDE